Obras

Olaria RomanaOlaria Romana

do Pinheiro

 

Autores: Françoise Mayet e Carlos Tavares da Silva

Data: 2009

Edição: Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal (MAEDS)

101pp.

ISBN 978-972-9253-26-3
 
PVP 15€
 

A edição do livro-guia Olaria Romana do Pinheiro constitui valiosa síntese dos trabalhos realizados, nos anos 90 do século XX, na estação arqueológica do Pinheiro, em texto bilingue (português/francês). Os seus autores, Françoise Mayet e Carlos Tavares da Silva, reuniram neste guia, com grande rigor científico, mas de forma clara e concisa, acessível aos diversos públicos, o que haviam publicado na obra monográfica L’atelier d’amphores de Pinheiro (Portugal), em 1998. O guia é acompanhado de documentação gráfica e fotográfica da olaria romana, onde foram identificadas duas grandes fases de funcionamento: a primeira fase do Alto império de meados do século I ao final século II, com a abundante produção de ânforas do tipo Dressel 14; a segunda fase, do Baixo Império (meados do século III à primeira metade do século V), durante a qual se assiste à produção, em larga escala, da ânfora Almagro 51c.

Ver índice >

 

EmbarcaçõesEmbarcações Tradicionais.

Contexto físico-cultural

do estuário do Sado

 

Coordenação editorial: Joaquina Soares

Data: 2008

Edição: Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal (MAEDS) e Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra (APSS)

180pp.

ISBN 978-972-9253-24-9
 
PVP 25€

 

O livro Embarcações Tradicionais. Contexto físico-cultural do estuário do Sado está organizado em quatro partes e resultou de parceria entre o MAEDS e a APSS: Parte I – Estuário do Sado - Contextualização física e histórica. Parte II - reedição de textos de referência há muito esgotados sobre as embarcações do Sado; Parte III – recuperação da memória do galeão Fundação de Portugal (levantamento gráfico e fotográfico dos vestígios da embarcação, reconstituição do seu historial da embarcação e projecto de reconstrução); Parte IV – intervenção de artistas plásticos e fotógrafos através da exposição "Embarcações Tradicionais do Sado. Um Património com Futuro" onde produziram diversas perspectivas do estuário do Sado.

Ver índice >

 

 

AbulAbul. Fenícios e

Romanos no vale do

Sado

 

Autores: Françoise Mayet e Carlos Tavares da Silva

Data: 2005

Edição: Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal (MAEDS)

108pp.

 

ISBN : 972-9253-23-4
 
PVP 19€
 

A edição do livro-guia Abul. Fenícios e Romanos no vale do Sado é uma obra de referência para o Distrito de Setúbal capaz de cativar variados públicos, constituindo valiosa síntese dos trabalhos ali realizados nos anos 90 do século XX. Os seus autores, Carlos Tavares da Silva e Françoise Mayet, compilaram neste guia, o que haviam publicado em duas obras monográficas sobre este sítio, em um texto bilingue (português/francês), acompanhado de documentação gráfica e fotográfica que nos transporta para o centro da feitoria fenícia, do santuário do século V a. C. e da olaria romana, de uma forma clara e acessivel.

Ver índice >

 

 

HipogeusOs hipogeus

pré-históricos da Quinta do Anjo (Palmela) e as economias do simbólico

 

Autora: Joaquina Soares

Data: 2003

Edição: Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal (MAEDS)

238pp.

ISBN 972-9253-22-6
 
PVP 28€

 

 

Obra de síntese sobre uma das mais importantes jazidas arqueológicas do Distrito de Setúbal. A autora desenvolve a partir da apresentação da totalidade do espólio funerário e das arquitecturas sepulcrais, uma nova perspectiva teórica que valoriza o capital simbólico acumulado nesta necrópole, como meio de apropriação e legitimação do poder pelas elites do período campaniforme que detinha o seu controlo. Para além do registo funerário a obra comporta uma análise dos povoados que enquadram a necrópole de hipogeus.

Ver índice >

seguinte